Crescer é uma coisa, desenvolver é outra, e entender essa diferença é parte importante do processo de puericultura até que idade seja possível atender a criança e/ou adolescente para que enfrente as dores e delícias da vida sem riscos e com plena saúde.

A puericultura é uma especialidade da pediatria que acompanha o desenvolvimento desde antes do nascimento até a adolescência. Essa área da saúde oferece atenção integral e trata a criança em todas as suas particularidades, avaliando seu comportamento, saúde, família e ambiente.

Dessa forma, é possível enxergar sinais de problemas ou falhas no desenvolvimento antes que seja tarde demais. Dificuldade de aprendizado, deficiência cognitiva, coordenação motora prejudicada e convivência em ambiente hostil são alguns dos pontos que podem ser constatados com esse acompanhamento, realizado por profissionais da saúde.

Puericultura: até que idade é possível?

foto: criada por freepik

Entre as medidas preventivas mais importantes para o desenvolvimento saudável estão:

  • Crescimento: avaliação do peso e altura do bebê e cuidados contra obesidade infantil e desnutrição;
  • Saúde mental: aconselhamento de pais, tutores e responsáveis pela criança sobre como lidar com as dificuldades de cada idade;
  • Saúde física: atenção quanto à higiene corporal, saneamento básico, oferta de água potável, condições do espaço físico onde a criança vive – desde a presença de escadas na casa até a segurança do bairro – e prática de atividades físicas e brincadeiras;
  • Vacinação: o pediatra responsável pela puericultura deve acompanhar e aconselhar os pais sobre a importância da imunização;
  • Alimentação: cuidados com a amamentação e introdução alimentar, além de oferta de comida saudável e adoção de hábitos alimentares regrados.

É importante que o médico conheça a criança desde pequena, por isso é recomendado que os pais escolham o pediatra antes do bebê nascer, solicitando, inclusive, uma visita na maternidade e orientações sobre amamentação e primeiros dias de vida.

Nesse momento o pediatra já terá um panorama de como são os integrantes dessa nova família e em que tipo de ambiente o bebê crescerá. A partir daí a primeira visita deve ser domiciliar quando o bebê tiver, no máximo, sete dias, e será avaliado seu estado geral de saúde, além de como os pais e a rede de apoio está se saindo nos cuidados.

foto: criada por freepik

Como a puericultura trata das particularidades de cada ser humano, as regras quanto à frequência das consultas são flexíveis. Dependendo do estado de saúde os retornos podem ocorrer semanalmente ou quinzenalmente no primeiro mês, e até o sexto mês devem ser mensais. O acompanhamento pode ser feito até os 19 anos de idade.

Os primeiros anos são os mais importantes para o desenvolvimento infantil e os lojistas devem ter atenção a essa tendência de cuidados humanizados com a saúde dos pequenos. Brinquedos que trabalham o lado lúdico e são educativos e estimulantes são os mais indicados pelos pediatras que trabalham com essa especialidade.

Não deixe de oferecer brinquedos para puericultura até que idade seja possível. Além de serem ótimas opções, esses produtos posicionam sua marca pela atenção às necessidades integrais da criança – um ponto muito positivo com os pais!

Conteúdo criado por Sonobe Conteúdo, agência digital dedicada à redação, planejamento e consultoria em redação e marketing de conteúdo. Através de equipe certificada em jornalismo, marketing digital, SEO, roteiro, gestão e empreendedorismo, a Sonobe traz aos leitores e leitoras do Reval Blog novas perspectivas para os seus negócios.


Reval Blog

Papelaria, Escritório, Informática, Eletroeletrônicos, Brinquedos, Artesanato, Presentes, Festas e Descartáveis. Ligue 0800-701-1811.

0 comentário

Deixe uma resposta