Não dá para negar que a transformação digital do varejo brasileiro chegou. A migração da loja física para o e-commerce pode até ter ocorrido de forma brusca e não planejada durante o primeiro semestre deste ano, mas permitiu que micro, pequenos e médios comerciantes não tivessem tanto prejuízo. A página de vendas online Amazon surge como mais um recurso para auxiliar nesses novos desafios.

A gigante do varejo vem crescendo no Brasil, mas ainda não consegue bater de frente com marketplaces como Lojas Americanas e Magazine Luiza. Visando atingir os pequenos e médios negócios, a plataforma lançou uma página que ensina a vender pela internet e alcançar um público cada vez maior.

Vendas online Amazon: dicas de quem sabe

foto: criada por freepik

Diferente do Ebay, que lançou um programa de aceleração de pequenas empresas, e do Magazine Luiza, que permitiu a inclusão gratuita de pequenos varejistas e autônomos e pretende oferecer linhas de crédito, a Amazon apostou na simplicidade para conquistar quem ainda não tem muito contato com a plataforma, mas quer entrar no e-commerce sem complicação.

A página oferece um tutorial simples para quem quer vender, com direito a vídeos de apoio para cada etapa, e-book simplificado para criar uma conta de vendedor no site e vídeos com histórias de sucesso de vendedores online Amazon. Toda quarta-feira, às 16h, é possível participar gratuitamente de treinamentos online.

Se mesmo com todas as orientações o lojista tiver dificuldades, um gerente de contas pode entrar em contato e ajudar a finalizar o registro para iniciar as vendas. As perguntas mais frequentes podem ser consultadas no FAQ e todos os vídeos podem ser assistidos no canal Amazon Seller University Brasil.

Por fim, a Amazon oferece três meses gratuitos no Plano Profissional, indicado para quem pretende vender mais de 10 itens por mês e que cobra assinatura mensal de R$ 19 + comissão – diferente do Plano Individual, indicado para quem pretende vender menos de 10 itens e que cobra R$ 2 por produto vendido + comissão.

Vantagens das vendas por marketplace

foto: criada por freepik

Os marketplaces são e-commerces nos quais lojistas cadastram e vendem seus produtos.

Ao invés de criar um site e arcar com os custos de manter um domínio e fazer manutenções frequentes, o marketplace é mediado por uma empresa que fica com uma comissão sobre as vendas em troca da exposição no site, que funciona como uma vitrine virtual.

Os custos são baixos e a visibilidade é enorme. Os maiores marketplaces brasileiros, como Shoptime, OLX e Mercado Livre, têm uma audiência média de 40 milhões de potenciais compradores, o que significa uma nova fatia de mercado que seria inimaginável alcançar somente com a loja física ou vendas por apps de mensagens.

No caso das vendas online Amazon, ainda é possível usar o aplicativo Seller App para rastrear vendas, atender pedidos, tirar dúvidas de clientes, tirar fotos de alta qualidade dos produtos e encontrar novos itens para venda. E mesmo que o cliente faça compras parceladas o lojista que opta pela plataforma de vendas online Amazon recebe o valor à vista no ciclo seguinte de pagamento – algo que, em tempos de instabilidade no mercado, isso significa muito!


Conteúdo criado por Sonobe Conteúdo, agência digital dedicada à redação, planejamento e consultoria em redação e marketing de conteúdo. Através de equipe certificada em jornalismo, marketing digital, SEO, roteiro, gestão e empreendedorismo, a Sonobe traz aos leitores e leitoras do Reval Blog novas perspectivas para os seus negócios.


Clique aqui e participe de nosso canal no Telegram. Novidades da Reval na tela do seu celular!

Gabriel Pascoli

Papelaria, Escritório, Informática, Eletroeletrônicos, Brinquedos, Artesanato, Presentes, Festas e Descartáveis. Ligue 0800-701-1811.

0 comentário

Deixe uma resposta