Skip to main content

Maranhão amplia e vira exemplo a ser seguido

O Estado do Maranhão adotou sistema do cartão material escolar que pode ser exemplo para todo o Brasil.

Lá, o Bolsa Escola atende cerca de 1.200.000 alunos em 217 municípios. De um ano para o outro o programa cresceu, incorporou mais 110 mil alunos beneficiados e ampliou de 800 para mais de 1.400 estabelecimentos credenciados – 69% a mais do que os 843 do ano anterior. O investimento no comércio local das cidades chega a R$ 60 milhões.

O investimento é R$ 14 milhões a mais que o valor de 2016, segundo informações da agência de notícias do Estado. Cerca de 1 milhão de famílias contempladas pelo programa no ano passado receberam em seus cartões o auxílio no valor de R$ 51,00 por filho matriculado em escola pública. A coordenação do Bolsa Escola é de responsabilidade da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (Sedes).

Elinalva Evangelista e filhos beneficiados com o Bolsa Escola. Foto: Divulgação

Entre os critérios para receber o cartão estão a exigência de ser beneficiário do Programa Bolsa Família, ter entre 4 e 17 anos e ser aluno em escola pública.Entre os critérios para receber o cartão estão a exigência de ser beneficiário do Programa Bolsa Família, ter entre 4 e 17 anos e ser aluno em escola pública.

O Centro de Convenções da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) se transformou na casa do Bolsa Escola antes do início das aulas na capital do Estado. Com estande de vendas montados, espaços para a criançada, o governo distribuiu 16 mil cartões. O governador Flávio Dino e o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr., participaram da entrega.

Governador Flávio Dino participa do dia de mobilização de entrega de cartões do Bolsa Escola em São Luiz. Foto: Divulgação

Comércio

O governador destacou que o Bolsa Escola é único no Brasil e serve de referência. “Isso significa estímulo para que as famílias cuidem ainda mais da educação dos seus filhos, os meninos e meninas ficam muito animados com material novo, quem já foi criança sabe disso, e é também um modo que a gente encontrou nesse quadro de recessão fazer com que os comerciantes de todo o estado tenham essa oportunidade”.

Há 25 anos no ramo, Juarez Moraes de Sousa Filho, comerciante em Pinheiro, explica porque o interesse em vender para os beneficiários do Bolsa Escola. “Minha loja estava para fechar, as contas todas atrasadas, no meio de uma crise, quando começaram a chegar os pais dos alunos e comprar o material. Tive que reabastecer o estoque e a loja ficou tão bem que as marcas começaram a mandar representantes, pudemos conseguir materiais em melhores condições. O programa foi extraordinário”.

Governador Flávio Dino participa do dia de mobilização de entrega de cartões do Bolsa Escola. Foto: Divulgação

Reval Blog

Papelaria, Escritório, Informática, Eletroeletrônicos, Brinquedos, Artesanato, Presentes, Festas e Descartáveis. Ligue 0800-701-1811.

Deixe uma resposta