Em meio a tantas estratégias de marketing e técnicas de vendas, o simples e funcional pode representar diferenças marcantes nos resultados. Uma opção que não pode faltar em qualquer comércio, especialmente o de médio e pequeno porte, é o cadastro de clientes.

Esse conjunto de informações é uma importante ferramenta para se aproximar do consumidor e saber mais sobre seus interesses e necessidades. Mais do que isso, permite a construção de uma relação mais estreita e assertiva, algo essencial em um momento onde a experiência de compra está entre as prioridades do mercado.

Mas não basta preencher nome, e-mail e telefone em uma folha e guardar o papel em uma pasta. É preciso saber utilizar os dados a seu favor e de forma sutil para não incomodar ou constranger o cliente.

3 etapas do cadastro de clientes

Antes de dar início ao processo, é bom lembrar: fichas e documentos em papel são coisa do passado. Um banco de dados digital é útil, acessível e fácil de atualizar em caso de alterações como endereço ou sobrenome.

1. Dados iniciais

foto: criada por freepik

Planilhas de Excel são uma solução prática e é possível encontrar diversos modelos online. Com o modelo em mãos, o primeiro passo é conseguir as informações básicas do cliente, como nome completo, endereço, telefones, e-mail, RG, CPF, etc.

É importante se atentar aos dados relevantes para seu negócio. Por exemplo, para uma papelaria é bom saber a idade e profissão dos clientes para saber que tipo de produto ou serviço interessa a ele – um pai com três filhos com certeza tem mais interesse em promoções de material escolar que uma colecionadora de bonequinhos, por exemplo.

2. Interesses

foto: criada por freepik

Indique os interesses e necessidades do cliente para criar ações segmentadas. Sabendo que seu aniversário é em maio, por exemplo, ofereça um desconto nesse mês no setor de seu interesse ou envie as novidades na área de atuação profissional do cliente.

A comunicação direta, feita via WhatsApp, telefone ou e-mail, é uma estratégia tradicional e que funciona muito bem, desde que não seja invasiva. O SAC 3.0 ou inbound marketing se aplica aos meios digitais, mas pode ser replicado no “mundo real”, pois avalia o comportamento do consumidor com base em iscas como artigos, cupons de desconto e sorteios.

3. Histórico de compras

foto: criada por freepik

Por fim, não esqueça do histórico de compras, que também vai permitir o envio de informações diferenciadas. Ao analisar o cadastro de um cliente e comprovar que ele já fez uma compra grande meses atrás ou fez um curso em sua unidade é possível oferecer 10% de desconto na próxima oportunidade para garantir a fidelização, por exemplo.

Todas essas informações, no entanto, devem estar reunidas em um cadastro de clientes constantemente atualizado. Não custa lembrar que o consumidor deve ter liberdade para não receber mais suas atualizações e ser respeitado – algo que vai lhe poupar tempo e dinheiro na divulgação do seu comércio.


Conteúdo criado por Sonobe Conteúdo, agência digital dedicada à redação, planejamento e consultoria em redação e marketing de conteúdo. Através de equipe certificada em jornalismo, marketing digital, SEO, roteiro, gestão e empreendedorismo, a Sonobe traz aos leitores e leitoras do Reval Blog novas perspectivas para os seus negócios.


Reval Blog

Papelaria, Escritório, Informática, Eletroeletrônicos, Brinquedos, Artesanato, Presentes, Festas e Descartáveis. Ligue 0800-701-1811.

2 comentários

Bruno Bert · 29 de março de 2019 às 09:32

Excelente matéria!

Deixe uma resposta